Neca Baldi (*)

Nossa escola nasceu com a diferença marcada nela. Sempre acreditamos na força do diverso, na força do que mobiliza o pensar. 

Há 30 anos, muitíssimo antes da legislação hoje em vigor, por exemplo, já acolhíamos crianças com necessidades educativas especiais, hoje chamadas “de inclusão”. E sabem por que isso? Porque entendemos que, se o mundo, afinal, é assim, com tantas pessoas diferentes, como a escola não vai ser? Como não reconhecer essas crianças do jeito que são? Como elas não estarem junto?

E, ainda, aprendemos com elas que todos somos diferentes uns dos outros. Não há uma sala de aula, uma turma de alunos(as) sequer, que seja “homogênea”. E isso é ótimo, porque enriquece o convívio e as aprendizagens.

No dia a dia da escola, somos desafiados(as) a pensar e a promover a igualdade de oportunidades para todos os alunos e as alunas, sendo necessário adequarmos as propostas, os materiais e as intervenções às características e possibilidades de cada criança, para que todos(as) se desenvolvam e avancem.

Tarefa nada fácil: tivemos de vencer as barreiras do preconceito (dos adultos, em especial), tivemos de investir muito, e seguimos investindo, na formação da nossa equipe, a fim de tornar possível e potente esse trabalho, tivemos de apostar e persistir na crença de que nos tornamos melhores quando aprendemos com o outro, quando somos empáticos, quando saímos “da caixa”, ao olharmos para cada um(a), levando em consideração sua história pessoal, sua individualidade. 

Assim, a Projeto nasceu para ser uma escola aberta à diversidade, tanto em relação a alunos e alunas, quanto a seus profissionais e currículos, acreditando no poder da música, do teatro, das artes visuais, da literatura, do cinema e das demais áreas ou linguagens que colaboram para ampliar a nossa noção de gente, de sujeito, de mundo.

Essa ampliação curricular, inclusive, que é um dos diferenciais da escola, esteve, justamente, relacionada à ideia de uma formação ampla do sujeito, de uma formação alargada para a vida. 

E sempre foram muitas as apostas!

Quando fundamos a Escola Projeto, no final dos anos 1980, nascia um Projeto Pedagógico consistente e acolhedor. Nossa prática sempre vislumbrou (e segue vislumbrando) um olhar diferenciado para tudo e para todos, bem como valorizou (e segue valorizando) a busca de estratégias didáticas que levem todos(as), e cada um(a), a aprender. A organização das atividades e interações sempre foi, e segue sendo, considerada para que cada aluno(a) possa ser confrontado frequentemente com oportunidades férteis e adequadas para seu crescimento.

Nossa escola é, de fato, de todos e de todas, para todos e todas.

Aguardem para o dia 29/8 – aqui no nosso blog – mais um texto abordando a proposta da escola.

Não percam!

(*) Diretora da Escola Projeto.