Yanto Laitano (*)

No final do ano passado eu recebi o convite para ser o músico-compositor estudado de 2019 da Projeto. Fiquei muito feliz e aceitei, mas não fazia ideia de quanto isso me traria alegria.

Eu sempre fiz músicas pensando simplesmente em trazê-las para o mundo, nunca com a intenção de receber algo em troca. Mas durante esses últimos meses eu recebi uma onda de amor como nunca tinha recebido.

E essa onda veio em forma de arte, em trabalhos temáticos relacionados com as minhas canções, como a horta “A Flor Que Nasce”, um móbile de “Disco Voador”, um barco “Canção do Capitão” com leme e que cabe um marinheiro/capitão e um cenário com ondas de mar. Além disso, desenhos/autorretratos das crianças que resultaram em um painel de “Camaradas”, uma cachoeira de tecido para “Banho de Cachoeira”, uma série de painéis temáticos, móbiles sobre as canções e desenhos incríveis retratando o compositor. A maior parte do material, em especial os retratos, serviria tranquilamente como cenário ou como ilustração para capas de discos e singles.

Ao longo das semanas fui recebendo vídeos das crianças cantando minhas músicas no pátio, em casa, dentro de carros e na sala de aula. Além disso, eu que moro no Bom Fim, relativamente perto da escola, tive a alegria de encontrar vários alunos com suas famílias nas ruas, praças e outros lugares do bairro e ganhar abraços, beijos e acenos e receber a luz que vinha de olhos que brilhavam quando me enxergavam. Os shows que eu fiz começaram a contar com uma plateia de crianças que sempre estavam na primeira fila e sempre eram os mais animados!

Ao perceber como a gurizada reagia às minhas canções, tive vontade de interagir artisticamente com elas de maneira mais intensa. Então, pedi ajuda pro amigo Kiko Ferraz, que gravou uma série de sons pré-combinados com as crianças. Peguei aqueles “tum”, “pá”, “tch” e outros sons que foram gravados, e montei uma bateria para servir de base em uma das músicas que toquei no show de encerramento. Além disso reutilizei a ideia de uma composição que escrevi para o grupo Ex-Machina para criar um coral, com as crianças fazendo sons de cachorro regidas por mim. De maneira semelhante, apresentamos uma sonoplastia para o som das ondas do mar para “Canção do Capitão”.

Os encontros com as crianças na escola também foram intensos. Toquei algumas músicas, ensaiamos o coro de cães e de ondas do mar, e respondi perguntas superinteligentes.

O ápice de tudo isso foi o “Show de encerramento do estudo da obra de Yanto Laitano”, em um memorável 28 de setembro de 2019 quando realizamos todas as interações e tocamos as músicas preferidas da gurizada, escolhidas por eles próprios. E todas os trabalhos artísticos que realizaram foram levados ao palco e resultaram em um cenário lindo.

O Teatro da AMRIGS estava lotado de uma plateia que sabia de cor e cantava junto todas as canções! Que alegria incrível ouvir um mar de gurizada cantando a plenos pulmões mesmo as letras mais difíceis, com jogos de palavras intrincadas.

Que plateia sensacional! Cantaram bonito e estavam superafinados. E transformaram-se em ondas de mar e depois em cachorros, latindo e uivando no maior coral de cachorros que eu já vi! Foi inesquecível. Me faltam palavras para agradecer tanto carinho, pessoas queridas! Levarei todos esses momentos para sempre no coração.

Veja aqui o show completo:

(*) Músico convidado deste ano de 2019.